DEPUTADOS PAMPILHOSENSES RELEMBRADOS PELA BIBLIOTECA DA FIGUEIRA DA FOZ PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

 

Os antigos deputados à 1.ª República José Maria Cardoso e Júlio Gonçalves (respetivamente nas fotos) vão ser alvo de uma exposição temporária a realizar em Dezembro próximo na Biblioteca Pública Municipal “Pedro Fernandes Tomás”, na cidade da Figueira da Foz.

A iniciativa cultural surge por sugestão da Associação de Juristas de Pampilhosa da Serra (AJPS) à autarquia local e pretende contribuir para o avivamento da memória local quanto a duas personalidades que, apesar de naturais do concelho pampilhosense, se destacaram na sociedade figueirense. A exposição enquadra-se ainda na celebração do centenário da Constituição da República de 1911, da qual José Maria Cardoso foi um dos pais na medida em que integrou a Assembleia Nacional Constituinte encarregue de criar uma nova lei fundamental após a implantação da República.

Com vista à realização da exposição a Biblioteca Pública Municipal da Figueira da Foz e a AJPS têm vindo a proceder à recolha de diversos materiais. De recordar que esta não é a primeira iniciativa do género por parte da AJPS, na medida em que no ano de 2011 esteve patente ao público uma exposição dedicada a José Maria Cardoso na Biblioteca Municipal da Lousã também por sugestão e com o apoio da associação forense de Pampilhosa da Serra.

José Maria Cardoso nasceu em 1885 em Fajão e fez activa propaganda em vários comícios ao lado dos grandes oradores do Partido Republicano. Em 1911 foi eleito deputado à Assembleia Constituinte de 1911 pelo círculo eleitoral de Arganil e eleito administrador do concelho da Lousã. Obtida a licenciatura em Direito, inicia funções como notário na Figueira da Foz (1916-1919), tendo aqui refundado o jornal “O Figueirense”. No ano de 1919 é nomeado inspector do notariado, cargo que exerce quase durante um quarto de século. É eleito para a Câmara dos Deputados em 1921, desta feita pelo círculo de Braga e integrado nas listas do Partido Liberal. A 30 de Maio é nomeado para o cargo de Governador Civil do Distrito de Coimbra, sendo exonerado a 25 de Outubro, na sequência da revolução de 19 de Outubro.

Foi presidente da Câmara Municipal da Lousã entre 1926 e 1929. Para além de político e jornalista, José Maria Cardoso foi igualmente um destacado regionalista e associativista, tendo desempenhado diversos cargos na Casa do Concelho de Pampilhosa da Serra, no Grupo de Amigos de Olivença, na Casa das Beiras no Ginásio Clube Figueirense e na Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Figueira da Foz. Mesmo após a sua morte em 1959, a Lousã não esqueceu este seu filho adoptivo, tendo colocado o seu busto junto do Cineteatro em 1972 e atribuído o seu nome a uma das artérias da vila dois anos depois.

Por seu turno, Júlio Gonçalves nasceu em Setembro de 1886, tendo frequentado o Seminário de Coimbra, onde fez os estudos teológicos. Porém, em 1909 abandona o dito seminário e completa os estudos secundários no Liceu de Coimbra. Posteriormente matricula-se na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, obtendo a licenciatura em 1912.

Foi administrador do concelho do Carregal do Sal, acumulando essas funções com as de oficial do Registo Civil. Porém, no ano de 1918 fixa residência na Figueira da Foz e ali abre escritório de advogado, tendo igualmente exercido as funções de notário naquela cidade. Inseriu-se profundamente na sociedade local figueirense, tendo assinalada passagem pelo Ginásio Clube Figueirense, pela Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Figueira da Foz e pelo Rotary Clube de Figueira da Foz (do qual foi co-fundador). O antigo deputado da 1.ª República faleceu em 1964 na cidade que adoptou, conforme profetizara em 1935: “Aqui conheci o mar e, à beira dele, as primeiras ilusões de menino e moço; aqui adquiri a experiência, gerada no trabalho e nos desenganos; cá me nasceram os filhos e os cabelos brancos, e, finalmente, aqui à luz e ao calor deste sol incomparável e sob o azul deste céu de amor e de poesia, adormecerei, certamente, para o sono derradeiro…”

Partilhe este artigo no seu site ou blogue

Para criar um link no seu site para este artigo,
copie e cole o codigo abaixo no seu site.




Prever :

DEPUTADOS PAMPILHOSENSES RELEMBRADOS PELA BIBLIOTECA DA FIGUEIRA DA FOZ
  Os antigos deputados à 1.ª República José Maria Cardoso e Júlio Gonçalves (respetivamente nas fotos) vão ser alvo de uma exposição temporária a realizar em Dezembro próximo na...


Adaptado Partilhe © 2011
Share on Facebook